18 outubro 2010

Escalada... ah a escalada!


A maioria das pessoas que pratica escalada é tarado pela coisa! Não consegue viver sem! (Pelo menos os que eu conheço.)


Normalmente demora algumas sessões, mas em muitos casos o mosquitinho transmissor do vírus do climb te infecta logo nos primeiros contatos com a pedra ou mesmo o muro.


Talvez seja a evolução individual, que principalmente nas primeiras escaladas é muito nítida. Aquele movimento que não saiu de jeito nenhum num dia, no outro sai relativamente fácil. Aquele V2 ou aquele 7º que parecia completamente impossível quando você começou a escalar, depois de um tempo fica totalmente “fazível” e você já olha diferente pros V5 e pros 8º e assim por diante.


Força, encaixe, memória corporal, sei lá o que é... talvez tudo junto!? O que eu quero dizer é que o “trem” vicia mesmo! E depois de viciado a coisa passa a tomar conta da sua vida. Você não quer mais ficar de bobeira nos fins de semana, começa a se ligar um pouco mais na alimentação porque ganhar peso é o maior preju, seu carro está sempre sujo por causa das estradas de terra, sua mão vai engrossando, você começa a andar com uma galera diferente e quando se dá conta, tá refazendo mentalmente uns movimentos no meio de uma aula ou no trampo.


Brincadeiras a parte, é comum que a vida mude depois de começar a escalar. Realmente, escalada muito mais que esporte é estilo de vida.


Entretanto, para alguns o coisa vai além. Você quer escalar todo dia, começa a mandar umas coisas realmente difíceis e chega um momento que um mero mortal só evolui com dedicação extrema e se quiser evoluir tem que a colocar a escalada em primeiro lugar na sua vida em detrimento de trabalho, família, amigos, estudos... Maior doidera! Ainda mais no Brasil, onde ninguém vive de escalar! Alguns vivem pra escalar, mas a renda vem de outro lugar. A verdade é que a escalada brasileira ainda está em processo de desenvolvimento e ainda não oferece aos praticantes as mesmas condições dos países com tradição no esporte.


Mas isso está mudando. Com o crescimento da população de escaladores, o desenvolvimento das condições de treino (treinadores e academias) e das áreas de escalada no Brasil a tendência é que as oportunidades também aumentem. As novas gerações têm muito mais condições de realizar sonhos que até pouco tempo pareciam muito distante dos brasileiros. Felipinho é prova viva disso! Começando na adolescência, com o treino certo, em um bom ginásio e com muita vontade de escalar, certamente aparecerão novos destaques na escalada esportiva brasileira. Isso gera um círculo virtuoso:




Isso está acontecendo hoje no Brasil devido ao empenho de "monstros" de um passado recente da escalada esportiva. Essa galera começou a escalar no século passado, não haviam muros de resina e as áreas de escalada eram subdesenvolvidas ou mesmo virgens. Não havia V10 nem 10º grau encadenado por brasileiro e os poucos ídolos eram estrangeiros. Tinha que querer muito escalar e eles puxaram o grau para cima, impulsionaram o desenvolvimento da escalada esportiva brasileira, certamente merecem créditos pela contribuição ao esporte!


No final das contas, a pessoa que começa a escalar hoje no Brasil tem muito mais chances de alcançar o nível de desempenho dos profissionais gringos e a tendência é melhorar!


De qualquer forma, sendo profissional, amador, fanfarrão, etc, o que importa é subir pedra!

3 Comentários:

Preto disse...

Boa Pirata!!!!!!
Eu já sou VICIADO nessa tal de escalada das antigas!!!!!
TUDO NOSSO!!!!
Preto, sempre valorizando.

raul disse...

viciado, to viciado,hahaahahh viciado

Pirata disse...

Isso aí Raulzito comédião! Tudo viciado! hauhauhauhau

Postar um comentário

Resumo

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

Cadenas

Rádio Escala Cerrado

  ©http://escalacerrado.blogspot.com

TOPO